Idealizei esse site no final de 2010 e o coloquei no ar na primeira semana de 2011. Na época, era apenas um blog sem muita pretensão. Queria apenas ajudar a divulgar e incentivar a dança porque estava incomodado com a falta de plateia que via em muitos espetáculos e festivais.

Salvo exceções, eram bailarinos se revezando entre o palco e a plateia, com o apoio de alguns familiares e amigos. Um negócio pouco sustentável que dependia de patrocinadores para alugar teatros, comprar figurinos, …, o que acredito que não tenha mudado muito nos últimos anos.

O site cresceu muito naquele ano, com coberturas de grandes festivais, entrevistas internacionais, artigos que fizeram muitas pessoas refletirem sobre as suas vidas e carreiras, mas o que era bom também era mau. Com todo o sucesso, o Dance Cast que era um hobbie acabou tomando todo o meu tempo.

Os meus colaboradores mais próximos e eu não conseguíamos nos dedicar com o mesmo empenho do início e, muito menos, colocar a energia necessária para continuar a crescer. Muitos eram jovens adultos e a vida exigia outras coisas. Eu havia acabado de entrar na UDESC e estava estagiando em uma empresa de software, já não tinha todo o tempo dos primeiros meses. Os outros estavam em situações parecidas.

Depois de 1 ano de sua idealização, o site parou de ser atualizado. Foi bem difícil para todos, principalmente pra mim. Eu sabia que não conseguiria me dedicar e era difícil segurar a vontade de fazer novas entrevistas, artigos, cobrir eventos e muito mais. Até tentei me aventurar em 2013, mas não consegui seguir em frente…

No ano passado, comecei um blog pessoal para repassar um pouco do conhecimento profissional que adquiri com os anos de experiência no mercado, graduação, MBA, entre outros estudos. Senti um pouco daquela sensação que era tocar o Dance Cast.

Sempre falei com muito brilho nos olhos sobre o site para a Fernanda Manzo, minha namorada. Tanto que ela me falou o seguinte há uns 15 dias – por que tu não volta com o Dance Cast agora? Eu te ajudo! – pensei, calculei e topei, principalmente pela ajuda dela.

Ela e eu planejamos algumas coisas bem legais para os próximos meses. Faremos aos poucos, em um ritmo sustentável, mas com uma qualidade que não era possível naquela época. A Fernanda tem muitas habilidades técnicas e criativas que faltavam no passado, inclusive uma visão não viciada do mundo da dança.

Quer acompanhar a nossa jornada daqui pra frente? Siga-nos no Facebook, Instagram, Twitter e Youtube.

Faremos uma série de post #MemoriaDanceCast. Fique de olho e nos deseje merda!