Para nossos leitores você é um dos pioneiros das danças urbanas, respeitado e conhecido. E para você, quem é Popin Pete e de onde veio?
Popin Pete vem de Fresno, California. Nascido em 5 de agosto. Eu amo dançar e dançar faz meu corpo e mente feliz. Popin Pete ama pessoas e ama ajudar as pessoas.

Como surgiu seu interesse pela dança e quais foram suas inspirações no início? Qual era o som da época e como era o cenário da dança?
Eu comecei quando tinha 6 anos de idade. Tinha um vizinho chamado “Little Luke”, ele era um ótimo dançarino e muitos gostavam de ver ele dançar, como eu. Ele era meio famoso, então eu queria ser igual a ele. Depois minha irmã mais velha começou em um grupo de dança e eu entrei quando tinha 13 anos, ela me ensinou muito. A música era ótima, todo mundo amava dançar as músicas do James Brown e, depois, meu irmão, Boogaloo Sam, me mostrou como dançar Boogaloo e Popping em 1978.

Você é membro do Electric Boogaloos, uma lenda viva dentro das danças urbanas. Como foi o começo do grupo e como está agora? O que mudou?
Os Electric Boogaloos eram diferentes naquela época, começamos em 1978, mas o grupo OG venho antes, que meu irmão começou chamando Electric Boogaloo Lockers em Fresno. Nos éramos novos, então a dança era mais empolgante, porque estávamos nos encontrando na dança, a mudança é só agora, porque já conhecemos a dança.

Quais são os membros atuais do Eletric?
Popin Pete, Boogaloo Sam, Mr. Wiggles, Suga Pop, Shonn Boog.

Qual foi a apresentação com o Electric que mais marcou a sua vida?
SoulTrain, esse foi o programa em que muita gente viu nosso grupo pela primeira vez, em 1979, e ficamos mais famosos depois disso.

No Brasil, existe um problema em relação ao nome das danças que o Electric representa. Chamam o conjunto delas (Popping, Boogaloo, Waving, Tutting…) como Popping. Muito se discute sobre isso aqui. Se existe, qual seria o termo que engloba todas essas danças?
Eu digo que somos todos dançarinos então “Dança” seria a melhor palavra. Popping é só um estilo, eu danço esse estilo. Acho que as pessoas falam isso porque é mais fácil, como dizem “Breaking” ou “Locking”, usando uma palavra para definir o estilo, mas há mais estilos lá fora e cada um tem sua própria história e criador.

As danças que o Electric representa e o Locking fazem parte da cultura Funk. Como é essa cultura e quais os elementos que a formam?
Não há elementos, só dança e música boa, simples!

Como você define o Popping e quais movimentos fazem parte dessa dança?
A técnica de Popping é seu movimento dentro da técnica, seja você na dança ou estilo.

Como você vê a evolução do Popping? E quem você destacaria que ajudou nessa evolução?
Evolução é o que você faz dentro de você mesmo, estou tentando evoluir toda vez que danço. Minha evolução.

Quais nomes você destacaria da nova geração de poppers?
Amo todos!

Hoje, há batalhas de Popping em que não se dança Popping, muitos dançam apenas waving, boogaloo…Como você enxerga essa situação?
Simples: que tal chamar de uma batalha de dança e todo mundo pode dançar o que quer?

Você já trabalhou com cantores. Quais chamaram mais sua atenção e por que?
Todos são os mesmos, é aquele momento no show ou vídeo. É um trabalho muito legal!

Qual sua opinião em relação ao nível mundial da dança Popping e em especial no Brasil?
Acho que é um ótimo nível e muitas pessoas estão aprendendo a verdade sobre o estilo.

Qual mensagem você gostaria de deixar para os nossos leitores?
Ame-se dentro do estilo, fique longe do drama, somente ame-se