A dança nasceu da necessidade de expressão, foi motivo de formação e definição de hierarquias, serviu como crítica, revolta. São muitas as fases por onde ela passou. O fato é que, atualmente, ela vive um momento em que sua profissionalização e mercado de trabalho estão cada vez mais amplos. Muitas vezes, a profissionalização não refere-se à qualidade, mas à entrega da pessoa de viver da dança além do hobby e buscar sustento a partir dela.

A partir daí, surge a necessidade em tratá-la de forma menos amadora, mas cercada de meios que ajudem os profissionais de dança de diversas formas. Uma das tantas necessidades é da existência de certificados para workshops, aulas, participações em festivais, batalhas, etc…disponibilizados pelas organizações dos eventos. Um certificado nada mais é que um documento que comprova que o indivíduo fez algum curso ou esteve presente em algum lugar, porém, não possui o valor de mercado que possui o diploma. Mesmo assim, pode fazer profunda diferença na situação de pessoas ligadas ao uso dele, comprovando oficialmente determinado feito.

Como sugerido por muitos bailarinos/dançarinos/professores/coreógrafos, os eventos de dança devem ser coerentes em suas organizações ao providenciar certificados, especificando o nome do professor, nome do aluno, total de aulas, carga horária e data. É uma maneira de simplesmente tratar com respeito aqueles que dedicam-se ao aprendizado da dança.

A campanha está lançada. E, a partir dela, o impulso para a melhoria na qualificação dos eventos de dança e de todos os envolvidos.