Para cada dia uma escolha. E para a mesma um momento!
Para cada momento um sentimento. E para o mesmo um som!
Para cada som um movimento. E para o mesmo um corpo!

Já ouviu alguma música e lembrou-se de alguém ou algum lugar? Existe algum som que marcou a sua vida e você o tem como “música tema” daquele momento?
Parece bobagem, mas a verdade é que todo ser que respira emite sons – vibrações de ondas imperceptíveis aos nossos meros ouvidos mortais. Sentimentalmente falando: Ele canta, louva, GRITA!
É daí que parte a essência da nossa liberdade de expressão. Para cada momento há um som que o contrasta/caracteriza… Seja amizade colorida; perda inestimável; férias na Bahia; saudade repentina… Sempre há uma música que revela o que estamos passando. Se não há…criamos!
É assim que funciona a maior parte dos processos de criação. Pouco importam as leis universais, porque o mundo também é um palco! O qual não existe sem sons (música), luzes (sol), enredos/protagonistas/platéia (nós). Quem cria vive intensamente na esperança de encontrar algo novo ou alguma forma de liberar o que sente!
A partir desse momento surge a capoeira que evolui e se torna a dança afro, a Basse Dance (entro em detalhes no próximo post ) que evolui e se torna o ballet, que por sua vez evolui ainda mais até a dança moderna, neoclássico, dança contemporânea, e assim por diante.
Viva e sinta as vibrações no ar. Dance! Não precisa ser conforme a música, mas conforme o que você está sentindo agora. Crie e evolua! Você pode descobrir uma expressão só sua e ser o protagonista, coreógrafo, compositor de uma nova história.