Há uma constante controvérsia sobre este assunto. As opiniões são diversas e cercadas por várias justificativas.

João Wlamir, jurado do programa “Se Ela Dança Eu Danço” do SBT, tem deixado muito evidente o seu ponto de vista, aliás é um dos seus maiores critérios para os aprovados do programa. Ele deixa claro, que para dançar e entrar no programa é preciso estar “em forma” e com o “peso ideal”.

Muitos têm revoltado-se com tal afirmação. Outros concordam fielmente com o jurado.

Abaixo, algumas opiniões sobre o físico no ballet clássico.

E você, o que pensa sobre isso?

Reconhecer uma bailarina não é apenas olhar as suas “dobras”, eu concordo. Mas quando estamos dispostos a disputar um lugar de destaque (eu repito: destaque!), no mercado de trabalho, temos que estar cientes de que um bom profissional cuida bem da sua ferramenta de trabalho, no caso nosso corpo.

Além do mais, físico é para ser mostrado, e a leveza, além de uma questão estética, é também fundamento científico para não nos machucar, pois o fator “peso” pode ser agravante quanto a lesões nos pés, joelhos, calcanhares, além de atrapalhar bastante nos adágios, saltos e principalmente nossos partners.

De fato, muitas companhias de dança buscam estereotipar seus bailarinos para manter uma certa conformidade e uniformidade que o ballet clássico exige e que eleva o potencial do grupo. Em palco, é uma ponta bem esticada, uma perna bem alongada, um abdômen bem definido, uma mão delicada…Seja onde for fazem toda diferença, pois é através de cada extremidade do nosso corpo que narramos nosso personagem. Precisamos de leveza e força para representar cisnes, fadas, sylphides, cupidos…

Agora, um apoio mental: físico divinamente agraciado sem trabalho e dedicação não faz uma bailarina.
Técnica é a base e somente com muito esforço e repetição, esta, quando bem aplicada, modela qualquer corpo. Dando o verdadeiro ar da graça, unindo corpo, técnica e expressão. Cuidar da alimentação também conta muito! Mas se ballet para você é apenas lazer, dance com prazer e gozo, ame-se! Existe sim um bailarino lindo, expressivo e diferente de todos: Você!